08/06/2008

Amores de sofá

Estive vai-não vai para enviar este texto para a "Revista 365" do Fernando Alvim. O tema dos textos dos candidatos era "Amores de Sofá". E eu escrevi isto. Não saiu do caderno... até agora!

Não quero alugar um filme. Só quero estar contigo. Não, não estou aborrecida. Tem de haver uma razão para querer estar contigo? Apetece-me chegar a casa, tirar os sapatos (doiem-me os pés), ficar descalça e deitar-me contigo.

Deitar-me só. Porque quero estar contigo. Quero chegar a casa e descalçar-me. Sentar-me no sofá e deixar-me escorregar até ao teu colo. Porque preciso estar contigo. Apetece-me mesmo: estar deitada no sofá, contigo. A fazeres-me festas no cabelo. A sentir o ritmo da tua respiração. A sentir o teu coração a bater.

Apaga a televisão. Esquece o filme. Vem para aqui. Deita-te aqui ao meu lado. Sei que o espaço é pequeno. Mas vamos estar juntos. Sabes que não é capricho meu. Há quanto tempo não estamos só os dois? A sentir a electricidade estática do corpo do outro?

Sei que sou tola. Não precisas de dizer. Mas vem para aqui. Deitas-te no sofá e fazemos conchinha. Quero apoiar a cabeça no teu braço. Quero ouvir-te dizer num leve murmúrio "gosto de ti". Quero que sejamos só nós. Sem muitas palavras. As palavras atropelam.

Deitada na teu colo, a fazeres-me festas no cabelo, ou deitados no sofá, em conchinha, só quero estar contigo.

Não temos que voltar a sair. Só quero estar contigo. Percebes agora? Nem precisas falar. Bastam o teu cheiro e o teu abraço. Porque contigo, sou mais eu. E agora, estou perdida. É por isso que tenho de estar contigo. Não importa que adormeças - e que lindo ficas a dormir! Vens?

12 comentários:

Speeder_76 disse...

Que maravilha!

Cristina disse...

Obrigada, Speeder. :)

Beijo

sessaoexperimental disse...

oh pá...de repente apeteceu-me atirar -me para o sofá!...como....o texto não era para o sofá!?...eheheh...brincando...está delicioso...;)

Ele há horas assim... disse...

Mais uma faceta da minha querida amiga Tininha...

Bis, bis...

Beijoka grande

Cristina disse...

Calvin, epahh... atira-te à vontade para o sofá. Ainda bem que gostaste. A intenção era não ficar um texto de todo desprezível, apesar de não o ter enviado (por simples "cagufa") :)

Horas, sejas bem-aparecido! "Tininha" é querido!! E sim, vou continuar a dar asas à escrita de histórias. :)

Beijoooosss

Djinn disse...

Caramba...até me arrepiei de tão familiar que senti este teu pensamento. E é tão bom essa sensação, eu diria única...sei como é...:):):)

Cristina disse...

Djinn, antes de mais: bem-vinda! É mesmo. Tentei transportar para palavras, aquilo que eu própria sinto. Ainda bem que consegui! :)

Obrigada pela visita! E volta sempre! :)

Beijinhos

Djinn disse...

Gostei muito! Voltarei concerteza...
É tão díficil exprimir através das palavras exactas o que sentimos...

Cristina disse...

Djinn, muito obrigada mais uma vez.

É complicado... mas acho que basta abrir o coração. O resto acontece naturalmente.

Moi disse...

Sorry..mas eu ja li isso em algum lado...!!!!

Cristina disse...

Moi, onde? Só se alguém mo copiou... tenho este texto manuscrito num dos meus cadernos. É meu! Escrito por mim... até posso fazer uma digitalização, como prova da minha autoria.

sessaoexperimental disse...

é muito feio deitar duvidas para o ar...tssssss......