23/06/2008

Muito ou pouco tempo?

Para sempre!
É muito tempo?
É pouco tempo?
É dúbio...

Para sempre. Ninguém ama para sempre, nem chora para sempre. Ninguém é feliz para sempre. Nem ninguém é miserável para sempre.

E ela... ela apercebeu-se disso quando ele disse "fim". A experiência em relações disfuncionais e irremediavelmente falhadas avisou-a que "para sempre" não existia. E o "fim" chegou. Chegou com o fim dos beijos ao sair de casa, das flores sem razão, dos jantares surpresa. O "fim" chegou. Chegou com o fim das mãos dadas no escuro do cinema, da mão no ombro no sofá da sala, das mensagens a meio da manhã...

Uma morte anunciada, pensou. Mesmo a experiência em relações disfuncionais, não evitava o sofrimento. Que mesmo não sendo "para sempre" doía como se fosse. Uma dor que só acalmava à noite, durante o sono, numa cama demasiado grande e demasiado fria para uma única pessoa.

O "fim" chegara por fim. Uma repetição de outros filmes. Mas nada dura "para sempre". Nem o amor... ou a dor. E ela sabia.

O "fim" chegara naquela tarde. Amena, por sinal. Uma tarde que ela sabe que se vai perder nos cofrezinhos da memória. Porque até as lembranças se perdem no tempo.

9 comentários:

Bombocaa disse...

E pq tudo tem 1 fim...e o pr sempre pode ser logo ou daí a mais 1 tempo...
C'est la vie...composta por ciclos...por início..meio e fim...
kissinho

Cristina disse...

Escrevi isto quando estava numa sala de espera... hahahah. Estava fartinha de esperar e a história do "para sempre" pareceu-me apropriada à situação! Hahahaha

Beijão!

sessaoexperimental disse...

nem tudo tem um fim.....mas por norma é assim...como a bomboca disse....tudo se renova..eheheh

Djinn disse...

O meu primeiro ciclo durou 18 anos, e foi muito bom, porque acabou sem mágoas.
Soube que tinha chegado ao fim, quando me apaixonei de novo...caso complicado um ciclo ainda por fechar, desfecho incerto, ou sem desfecho.
Podia ter ficado mas não fiquei...não fazia sentido...
Preferi a solidão à acomodação...
Porque acredito que posso ainda amar e ser amada...um destes dias quem sabe...

SílviA disse...

Acabam uns começam outros. E eu costumo dizer e citando Jorge de Sousa Braga "Nada de ressentimentos" ;)

Cristina disse...

Calvin, são ciclos.

Djinn, antes assim. As coisas mal resolvidas e mal acabadas doem mais.

Silvia, nem mais. Faço minhas as tuas palavras (e as de Jorge de Sousa Braga).

Beijooooossss

Oberon disse...

........oh.........oh.

REFLEXOS di LUNA disse...

Muita verdade no teu texto, muito facto de abanar a cabeça, sim é tudo assim mesmo, mais vírgula menos ponto.

Por isso constantemente acabo e recomeço agitando a paixão para que não adormeça.

Pode resultar.....Depois conto-te.

Bj

Cristina disse...

Oberon :)

Reflexos di luna, fico à espera. :)