02/09/2008

Todo o ano

Não sei se gosto mais da Primavera ou se de ti. Da Primavera, gosto da frescura, do orvalho matinal, do chilrear dos pássaros e das flores em botão. Em ti, gosto da frescura do teu beijo, do brilho dos teus olhos e da suavidade do teu abraço.

Não sei. Estou indecisa.

Gosto mais do Verão, ou gosto mais de ti? Gosto dos gelados, das conversas na esplanada, dos passeios nocturnos na praia, de pés descalços e ombros desnudos, sem sentir frio. Em ti, gosto do doce da tua voz, do carinho que empregas em cada gesto e cada palavra.

Não sei. Estou indecisa.

E no Outono? Do Outono, gosto das folhas a caírem, das romãs bem vermelhas e do cheiro das castanhas. Em ti, gosto dos teus cabelos revoltos, da barba por fazer e que me faz cócegas quando te beijo.

Não sei. Estou indecisa.

Chega o Inverno. No Inverno, gosto do frio, quando estou à lareira, do anoitecer quando estás comigo. No Inverno, gosto de ficar em casa a ver um filme, abraçada a ti. No Inverno, gosto de brincar às cozinheiras, sujar-te a ponta do nariz e fugir do eminente ataque de cócegas.

Não sei. Acho que gosto de ti durante todo o ano.

5 comentários:

Fernando Pessoa disse...

excelente declaração de intenções...vigiada pelo passado? ou adinhada num futuro próximo?

continuo por aí...

NI disse...

Acho que...gostas de viver.

Com tudo de bom e de mau que a palavra encerra.

Beijos

Cristina disse...

Fernando Pessoa, nem uma coisa, nem outra... surgiu apenas!

Ni, gosto. Muito. Mas disso já sabias. :)

Beijos

eremita disse...

quem é o "ti" ?

Cristina disse...

Eremita, agora não é ninguém :)

Beijo