01/07/2008

Ninguém é de ninguém ou Na dúvida, sou belenense

É um título estranho, eu sei. Não sabia mesmo era que nome concreto lhe havia de dar.

É ainda mais estranho escrever um texto, guardá-lo durante eternidades, abri-lo, eliminá-lo do computador, mas manter este título. Sei que não o quero eliminar... é um título com potencial.

Também há a estranheza de ter milhares de coisas a dizer sobre isto e não conseguir passá-las para o computador. Porque parecem superficiais, porque não quero parecer uma sofredora, porque acho que não vale a pena, ou porque simplesmente estão mal escritas...

Ninguém é de ninguém... restam dúvidas quanto a isto? Não quero escrever o óbvio. Não quero escrever algo que já foi lido mil vezes, debatido outras duas mil... ninguém é de ninguém. Ponto final.

Na dúvida, sou belenense... excepto para os seus sócios, o Belenenses é sempre a segunda escolha. No meu caso, a terceira. Quando as coisas não correm bem para as duas primeiras escolhas, opto pelos azuis do Restelo. É uma ideia parva, susceptível de várias interpretações e mal-entendidos. Mas é o que sinto: que, na dúvida, envergo, orgulhosamente, a camisola com a cruz de Cristo.

É um título estranho, reconheço e assino por baixo.

Tinha milhares de coisas para escrever. Mas há medida que vão aparecendo palavras na folha do Word (com ou sem sentido... tanto faz), vou perdendo o fio condutor que me levou a abrir (de novo) este documento, com este título. Como se perdessem importância (será que alguma vez a tiveram?)...

Fiquemos então com o título que disse mais sobre a minha actual situação do que todos os textos, mais ou menos conseguidos, que alguma vez escrevi. Se tivessem um título para dar à vossa vida, qual seria? O meu é este “Ninguém é de Ninguém ou Na dúvida, sou Belenense”.

10 comentários:

Bombocaa disse...

Por acaso não sei q título daria...acho que daria títulos diferentes...às diversas fases da vida...
E a este momento ainda nem sei que título lhe daria
:)

Cristina disse...

Bombocaa, é quase como perguntar qual é a música da nossa vida, não é? Há coisas que, simplesmente, não sabemos responder...

Mas hoje estava especialmente inspirada... e isto resume da melhor forma!

Beijoooosssss

Requiem disse...

Eu não sou de ninguem! Mas não sou Belenenses na dúvida!

Sou e sempre serei.

Agora tira os segundos sentidos que quiseres disso ;)

SílviA disse...

Eu acho que na duvida nunca deverias ser belenense ;) na duvida mais vale ser de ninguem.

Beijinho

Cristina disse...

Requiem, creio que não há muitos segundos sentidos!!

Sílvia, pois... isso é o que nos diz o lado racional da coisa. E é nesse sentido que se encaminha a primeira parte do título :)

Beijoooossss

Requiem disse...

Achas que não? Então pensa outra vez ;) HE HE HE HE

Cristina disse...

Tens alguma jogada na manga? :D

Requiem disse...

Na manga? Achas que sou rapaz para isso?

Djinn disse...

É bem verdade, ninguém é de niguém...

mtheman disse...

ninguém é de ninguém faz lembrar uma música fatela dos delfins :P